6º Avaliação de Desenhos – Veja o que pode e o que não se pode fazer em um desenho

Olá! Vamos tratar hoje de mais uma avaliação de desenhos! Para quem não sabe, o objetivo aqui é não só identificar acertos e erros para os seus respectivos autores, como também apresentar aos demais leitores o que pode e o que não se pode fazer em um desenho. Para não perder o costume, vou logo adiantando que essa avaliação não visa diminuir ninguém, senão apenas apresentar os pontos positivos e negativos dos respectivos desenhos analisados; portanto recomendo aos desenhistas que enviaram seus desenhos, que não levem esta análise pelo lado pessoal; afinal nós estamos aqui para ajudá-los através da indicação de erros e acertos; essa é uma chance real de crescimento, é um parâmetro para saber o que se tem acertado e o que ainda falta corrigir. Vamos lá a sexta avaliação de desenhos!

Huerdres Silva

Digit. em 13-04-2012 (79)

No desenho do Huerdres podemos observar boas qualidades de um desenho humano, entre elas a simetria, a boa disposição de cada item no desenho e a centralização na página. Ainda que os detalhes não estejam representados com total realismo, podemos ver que eles representam bem iconicamente cada parte humanoide. As proporções do rosto estão boas, inclusive dá para ver que as distâncias entre os olhos, a boca, entre outros, não causam grande desconforto visual. A nitidez do rosto em algumas partes ficaram boas, principalmente pelos traços mais definidos.

Com relação ao pescoço e a roupa, deu para notar certo destoamento em relação às partes que comentei anteriormente, principalmente no que se refere a acabamento. Não há textura de roupa, não há textura na pele do pescoço, e parece que nesta área o desenho ficou desfocado, deixando os detalhes se misturarem na composição.

Segundo o desenhista, o desenho foi uma ampliação baseada na imagem de um jornal, o que podemos considerar também ao analisar o desenho do Huerdres, já que os jornais não apresentam uma imagem satisfatória para se realizar um bom desenho; ainda mais se o desenhista tiver de ampliá-la. Além do mais, sabe-se lá o quanto ele teve de aumentar; pois, não sabemos o tamanho da imagem de referência impressa no jornal.

Com relação ao cabelo, podemos ver que faltou capricho na continuidade dos fios (com linhas mais extensas), o que com certeza transmitiria melhor o movimento e o sentido dos fios do cabelo. Deixar áreas brancas muito maiores que um grupo de fios (como no desenho), pode deixar a pessoa com uma aparência grisalha, e isso deixou a desejar, de certa maneira.

De forma geral o desenho poderia ter um acabamento mais refinado, com auxílio de um esfuminho, o que poderia até ajudar na definição do rosto e do cabelo; mas, depende é claro do estilo do artista.

Seria interessante se tivéssemos a imagem original a qual o Huerdres se baseou, o que com certeza poderia validar ou invalidar alguns dos elementos aqui apresentados. De qualquer modo Huerdres nos mostrou que tem muito talento, e podemos ver que ele tem um potencial para se tornar um grande desenhista! É isso aí Huerdres!

Caso você queira uma avaliação do seu desenho, como esta acima, clique aqui para mais informações. Até mais pessoal!

Sobre o Autor

Um curioso aspirante da filosofia que curte aprender um pouco de tudo, seja de ciência, arte, religião ou filosofia. Artista Plástico, Designer Gráfico e Blogueiro há mais de 7 anos.

http://www.desenhoonline.com

3 comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *